Menu

Deep Freeze Congelados

Interactivo

Dó-Ré-Mi










Diana Balis para Cruz e Sousa Poeta Cisne Negro que viveu entre (1861-1898) Homenagem
20Nov2015 09:36:22
Publicado por: Diana Balis

Siderações

Para as Estrelas de cristais gelados

As ânsias e os desejos vão subindo,

Galgando azuis e siderais noivados

De nuvens brancas a amplidão vestindo...

Num cortejo de cânticos alados

Os arcanjos, as cítaras ferindo,

Passam, das vestes nos troféus prateados,

As asas de ouro finamente abrindo...

Dos etéreos turíbulos de neve

Claro incenso aromal, límpido e leve,

Ondas nevoentas de Visões levanta...

E as ânsias e os desejos infinitos

Vão com os arcanjos formulando ritos

Da Eternidade que nos Astros canta...

Cruz e Sousa

 

Considerais o vento

Estrelas luminosas caindo ao mar de lama

O tempo do mal entre os arcanjos desfeitos

No sorriso os desejos de infinitos beijos

Desfeitos, como desalinhas os cabelos

O vento forte abre asas e flutua, rasga o céu

O cometa surge no chão de vaga-lumes

E o suor escaldado desce como o amor, flutuante

Nada como um revolto mar para aplainar com o tempo

Esse amor será infinito

Enquanto as cantigas para ninar os ventos desaparecem entre as nuvens.

Diana Balis, Rio de Janeiro, 20 de novembro de 2015.

Homenagem a Cruz e Sousa, o Poeta Negro que nasce na Cidade Nossa Senhora do Desterro, Florianópolis em 24 de novembro de 1861. 



Partilhar:

Artigos Relacionados
Vida Nova
Transcende e vem
Livro VERDES E PERFEITOS AMORES
Vem Nego (Jazz)
MAR
Porque perde tempo?
Amor virtual (poema erótico)


Para poder comentar necessita de iniciar sessào.